volta e meia, penso:
queria escrever odes 
idílios e sonetos
como eu fazia 
há dez anos atrás

mas naqueles tempos
a vida era mais doce
inspiração a contento
platônicos em demasia
e agora não mais

da transmutação do tudo em nada ou do nada em tudo

quanto mais ando mais quero andar quanto mais sei mais quero saber mas quanto menos quero melhor estou quanto menos almejo ...