do amor que escorre

sentido
consentido
com sentido.

em tempos de amores líquidos,
é difícil fazer o sólido ter sentido.

a ausência
se faz presente,
mesmo com um monte de gente.

e a carência,
quase indecente,
sempre volta, persistente.

mesmo que ali ao lado,
esteja deitado
algum pseudo namorado.

que se vai, logo cedo,
de tanto medo
de ficar.

da transmutação do tudo em nada ou do nada em tudo

quanto mais ando mais quero andar quanto mais sei mais quero saber mas quanto menos quero melhor estou quanto menos almejo ...