auto poética

olho para o que escrevi
e na maioria das vezes odeio
mas deixo passar, deixo ali,
para sempre me lembrar
o quão patética eu consigo ser.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

da transmutação do tudo em nada ou do nada em tudo

quanto mais ando mais quero andar quanto mais sei mais quero saber mas quanto menos quero melhor estou quanto menos almejo ...