olhar pra dentro

dói a vista,
dói a vida.
cutucar a ferida.

cansa a cabeça,
cansa a beleza.
mar de incerteza.

é soltar demônios trancafiados,
fantasmas do passado,
apenas para prender
novamente,
e aprender

é ter que pegar agulha e linha,
e quiçá uma cachacinha,
para costurar  um corte
profundo
no próprio peito

Nenhum comentário:

Postar um comentário

da transmutação do tudo em nada ou do nada em tudo

quanto mais ando mais quero andar quanto mais sei mais quero saber mas quanto menos quero melhor estou quanto menos almejo ...