Cadências e Cadeias

por Sarolta Bán


quando eu não aguento mais cantar,
me ponho de volta ao dó.

mas quando a coisa dá de desandar,
desanda tudo duma vez só.

desanda a grande massa
que me desanda a rotina
que me desata o nó

e ressuscitam fantasmas
e me ressaltam as cismas
levantam o pó

então desando em alergias
em indecências e impotências
desando em nostalgia

e desandam todos os outros rolos.
erro de continuidade.
quebra de eixo.

eu ando sempre a consertar.
eu tento sempre concertar.
mas sempre desanda alguma coisa na vida,
sempre que resolvo voltar a andar.

livramentos

me perco nas palavras bonitas nas frases bem ditas das linhas benditas que são escritas em livros de todos os tempos logo, me perco no ...