mudar mudas


Self Sabotage II - Alexandra Levasseur

chovia e ventava.
disseram que eu era muito fechada.
discordei, só não sou de publicar,
não sou nem quero ser pública.


chovia e ventava.
quis então mudar um pouco a fachada.
e, toda vez o faço de um jeito único.
dos cabelos e esmaltes aos pelos púbicos.


muda,
de novo mudei minhas mudas de lugar
e muda continuei.

gastando horas com as pernas pro ar.

das mudas de roupas,
mudei as paletas
e das flores de janela,
deixei só trabalhosas mudas de violetas

  
e ventava e chovia.
para reforçar a minha ânsia pelo desconhecido.
vontades de coisas não vividas com gente que nunca vi.
nada além de um mínimo de sintonia,
sem ninguém precisar podar de si
.

ventava e chovia.
destraquei a porta e deixei aberta.
de novo e de novo, sempre vale ressaltar.
mas já esperava, todavia
que ninguém havia de entrar.

da transmutação do tudo em nada ou do nada em tudo

quanto mais ando mais quero andar quanto mais sei mais quero saber mas quanto menos quero melhor estou quanto menos almejo ...