Nódoa no Brim


Olhos e Ovos por Jean-Michel Basquiat


como explicar em meio a ditadura do belo
                                    do puro
                                    dos "elos" "seguros"
como explicar
o meu amor
pelo real

pelos dissonantes
pelos mendigos ambulantes
vagabundos viajantes
pela licença poética
pela democracia patética
pelos frequentadores da sarjeta
sonhadores da esquerda
pelos cigarros fumados
pelos crimes não solucionados
pelos tons acinzentados
pelas baixarias
pelas putarias
pela nódoa no brim
pela estória sem fim
pelos que já morreram
pelos que sofreram
pelos que não comeram
pelo boteco barato
pelo drogado
pelo extasiado
sentenciado
abandonado
desequilibrado
pela esquizofrenia
pela anomalia
pela disritmia
pelo trabalhador braçal
pelo palavreado boçal
pelos hospícios
pelos suicídios
pelos resquícios de
qualquer coisa que não venha da hipocrisia
                             da demagogia
                             do imposto
seja imposto do governo
                    pelo governo
                    para o governo
seja imposto da sociedade
                    pela sociedade
                    para a sociedade,
pois é nesses meios que se pode ver verdade

e como qualquer coisa que seja de verdade,
o mundo é belo e é feio,
é bom e é ruim;
é de triste beleza
é de bela tristeza
mas nem por isso menos admirável.

o meu amor tanto pelo belo
quanto pelo feio,
tanto pelo bom,
quanto pelo ruim

como explicar?


Um comentário:

  1. Explicar pelo som, pelo dom, pelo tom da cor de tua pele. Em pêlo, respirAr puro Amor.

    ResponderExcluir

livramentos

me perco nas palavras bonitas nas frases bem ditas das linhas benditas que são escritas em livros de todos os tempos logo, me perco no ...