minha nudez é amor.

por Ryan McGinley


Ando nua pela dúvida,
nua numa nuance
de ventos e ventanias
de cores e cromoterapia
de brisas, texturas e transes,
nua numa nuance.

Para quem duvidou e duvida,
ando nua na rua da vida,
aprendo e me desprendo,
reaprendo e me livro
assim me torno livre
e fica só o inevitável.

O amor foi e é inevitável.
E o amor que tenho até então, me é
colorido, sui generis, confortável.
Ele me venta, me tenta, me chove,
me aspira, e me inspira,
me vive, me dói e me morre.

Por fim, só deixo a minha gratidão
por poder amar os que amo,
andar nua por onde ando.
E não só por saber ouvir,
ou por ser mais um banco de memórias,
mas também por poder construir histórias e estórias.


stellium em câncer

sol, lua, marte, mercúrio maria bethânia que perfeição