Do Sexo II


(Os Amantes - René Magritte)

já deixo claro que é mais uma das vãs explicações
sobre olhares, esbarrares e excitações
sob o meu mutável ponto de vista
e não sob o de Marcelo ou de Olivia

antes de tudo,
preciso de um instante mudo
e de uma variante do olhar

depois, preciso do cheiro
daquele que fica no travesseiro
até que se tire a fronha para lavar

e também quero maciez
dos cabelos, das coxas, da tez
preciso ouvir respirar

do mais, quero o orgasmo
quero morder os lábios
quero vermelhidão
quero arranhão,
e cansaço.

quero sintonia
sincronia
simetria

respirar junto

da transmutação do tudo em nada ou do nada em tudo

quanto mais ando mais quero andar quanto mais sei mais quero saber mas quanto menos quero melhor estou quanto menos almejo ...