Amanhã Me Tornarei



( O Passeio Sobre a Falésia - Claude Monet)

e esquecerei do misto de desprezo
   e insistência
nas minhas
    ideias infantes
       existencialmente
            fumantes

      amanhã, verão de 33 anos atrás
    velejando para o Atlântico Norte
carregando aqueles Fragmentos da Noite

          coloco os pés no amanhã
    com canções de madrugadas do ano passado
de quando me perdia em qualquer esquina da cidade

        acordarei na próxima manhã
    serei música num verão embaçado
nesse ano em que fiz quinze anos
de acordo com a carteira de identidade

 sobram do hoje que seria ontem,
   esmalte descascado azul marinho,
     Devenons Demain I, crise dos trinta mais três,
     impaciência ao esperar a minha vez,
   cheiro de cigarrilha de cravo
vontade de tocar as teclas de um cravo

Amanhã, me tornarei
depois de amanhã, retornarei
e assim sucessivamente
monocromaticamente
até o último verão embaçado
até as próximas Nantes

stellium em câncer

sol, lua, marte, mercúrio maria bethânia que perfeição