Uma mulher em breve

sabe que está chegando.

Na varanda que descansa, uma nostalgia boa
a linha do mar olhada da proa
os cheiros de infância
saltos envernizados no fino da elegância

Das dúvidas, dádivas
verdades cálidas,
Não tem nada de novo, mas tudo é inédito.

Sentir anjos é muito possível,
e o surreal fica visível.

Agora se gosta também do inverno
acostuma se com o inverso
não liga pro clichê
nada mais soa demodé,
só soa.

Um pouco de detalhismo
e até mesmo insegurança,
mas nada como antes.

Caixas de lembranças
engavetadas nas mentes.

Ninguém se esquece
das poesias e das preces,
tudo é arquivado.
Só que, às vezes,
no lugar errado.

Vinho, flores, perfumes
acampar, vagalumes.
A capacidade de escolha é incrivel.

Nada de velho, mas esperado talvez.
Alguns dias de escassez,
mas muitos de abundância.

bellocq1
Bellocq

da transmutação do tudo em nada ou do nada em tudo

quanto mais ando mais quero andar quanto mais sei mais quero saber mas quanto menos quero melhor estou quanto menos almejo ...