Scarlet Rose





Aquelas alucinações
aqueles momentos em se pensa que é um cochilo
ou que se faz de conta que é

A agulha é posta em seu devido lugar,
os barulhos das partes com pequenos riscos
o chiado começa, agora é só tampar

Tiro a poeira de um pedacinho da caixa
isso, aquela caixa onde o som do contra-baixo aparece
aquela caixa que, puxa, é de madeira.

Um turbilhão de palavras e olhares
uma cena com cor de sépia
a brisa que parece ter tom.

Tom de tonalidade
da gama colorida e
de musicalidade,

alguns momentos tão clichês em Hollywood
e algumas coisas tão inéditas que são inexplicáveis
só caberiam num universo, Norwegian Wood

essas tolices, essas diferenças, acontecem os devaneios
e não é nada como esse dito, "algo do tamanho do seu sonho"
o céu colorido, mas sem verde, desse novo veraneio

apenas o passa-tempo
de quem achava que passar o tempo
era a solução

uns livros amarelados, umas teias de aranha,
espadas e armaduras, castiçais medievais, um anjo de candura
licores novos em garrafas antigas, e a agulha que arranha....
- cenário

naquelas alucinações
naqueles momentos em se pensa que é um cochilo
ou que se faz de conta que é

Nenhum comentário:

Postar um comentário

da transmutação do tudo em nada ou do nada em tudo

quanto mais ando mais quero andar quanto mais sei mais quero saber mas quanto menos quero melhor estou quanto menos almejo ...