Círculo Vicioso

Do ser que flutua pesado

Daquele que reza falando mal

Do que se esconde apontando

Que enxerga, mas não vê

Que pega, mas não toca

Que se conforta em brasa

Que anda e não caminha

Do que engole, cospe, arrota agonias disfarçadas

Que vê cor-de-rosa onde é cinza

Que só enxerga se a carteira vazia

Do olhar que admira invejando

Do que espera e não confia

Que quer a paz, que aparece na TV

Que paga prestações por um bem de consumo qualquer

Que cheira, come, ouve mas não sente.


crescendo

ao envelhecer ficamos cada vez mais exigentes  com nós mesmos cada vez mais menos basta menos é bom menos faz e, então, precisamos...