Berceuse Pour Demain

"Abra a janela e veja o luar. Porque amanhã talvez não há. Sente-se na cadeira, leia seu livro, ouça sua música, fale com as estrelas, puxe seu último cigarro. Chore sua última lágrima. Lembre-se do gosto da dor. Tente não ver o amanhã. Sinta como é respirar, mesmo isso não ter sentido algum. Cante alguma canção para o céu vago. Faça dessa noite, tua criação. Tome sua última xícara de café porque o amanhã é incerto. O amanhã é incerto... Faça sua última dança, seu último riso, sua última infância. Não se preocupe, sinta-se só. Porque o crepúsculo existe para nos conceder sua solidão. Escute o som que a noite faz. Porque logo logo amanhece. Seja solilóquio por hoje. Porque o amanhã, o amanhã não existe!"

Samira Assis


stellium em câncer

sol, lua, marte, mercúrio maria bethânia que perfeição